(Di) vagando, Música

Fuzuê da Vênus em Escorpião.

Achei uma obra que representa o meu momento. O novo disco “Reconstrução” do Tiago Iorc faz qualquer mulher subir além da imaginação; pois que seja sozinha e usando suas fantasias. Seria ele o tal amante ardente que nas nossas vãs fantasias sabe dançar de mãos atadas conosco? Porque na realidade sempre rola uma decepção.

A facilidade de usar um microfone próximo a boca aproxima sua própria boca dos ouvidos mais sedentos. É sexy, é inteligente, bonito (por que não?) e arrisca saber até os mais profundos desejos. Uma boa relação acontece nisso.

Aliás na última semana que este álbum foi lançado me deparei com uma questão intrínseca: o magnetismo de uma pessoa é mais forte que a própria vontade de deixar para lá. Quando eu me vi envolta as canções e a um sentimento de vai e vem fiquei me questionando o que eu realmente poderia tirar disso que sentia. A Vênus em Escorpião que existe em mim saudou a efusão e se entregou solitária. Foi rápido mas foi da minha maneira, sem intervenções. A protagonista do seu próprio libido.

As questões mais complexas eu deixo para lá, para um lugar em que não cabe, lugar esse que se torna cada vez mais distante dos olhos e do coração. Encontrar uma alma que ainda sonhe está cada vez mais fora de foco, mas as que dançam estão por aí, a vera, de monte. Me escondo entre elas enquanto o sonho continua. Sozinha, sempre sozinha.

 

Anúncios
Contando

E se o Joe existisse em 2009?

Na mesma ideia do desafio de dez ano atrás cá estou eu inventando moda em associar uma série atual com o ano de 2009 e a discussão sobre feminismo que não tínhamos.

IMAGEM REPRODUÇÃO DA SÉRIE YOU/NETFLIX

Mas “Whos is Joe?”. Para quem não conhece o Joe ele é o protagonista da nova série do Netflix que se chama “You”. Até aqui você lê se não assistiu a série, da próxima linha em diante eu vou falar quem é Joe e por que as mulheres estão debatendo sobre a série.

Joe é um stalker, com requintes de psicopata e que julga seus maus atos dizendo que foi por amor. Mas não vá pensando que ele tem cara de mau, anda armado ou coisas que um serial killer faria. Joe é um amor, o problema está em ser um amor de fachada. Os traços de um psicopata em potencial: ele quer cuidar absurdamente de quem ele ama, prevê até o que a pessoa vai gostar (e a pessoa gosta), tem cara e jeito de bom moço e fica te perseguindo – virtualmente ou pessoalmente, sem deixar rastros óbvios. O estado da paixão não finda nunca, até que de uma hora para a outra vira ódio. Aliás, uma das coisas que os psicopatas mais gostam é render-se a insanidade e julgar ser totalmente normal um cuidado excessivo, planos que eximem o seu eu pelo bem de realizar o seu desejo de posse. Eles tem que estar no controle, mesmo que você não saiba porque eles são amorosos e te pegam no ponto fraco. São extremamente sedutores. Mas ouse dizer a ele que precisa de espaço, que precisa de um tempo, que precisa estudar, que precisa respirar. Becky, a namorada que o Joe conquistou, disse a ele que precisava respirar. Até então e ainda levou mais um tempo, ela não sabia que ele tinha furtado o seu celular que estava conectado à nuvem, seguia seus passos, se masturbava do outro lado da calçada olhando a Becky dentro de casa, pesquisou absolutamente tudo que tinha sobre a vida dela na internet e foi aí que ele deduziu, depois do primeiro encontro na livraria “macabra” que ele trabalha como gerente, de que Becky tinha as companhias erradas, estava em um relacionamento tóxico e só precisava de tempo para ser a boa escritora que ela queria ser enquanto ele cuidava para que a vida dela fosse perfeita e sem problemas enormes.

Agora vamos voltar à 2009 e encaixar essa história em um tempo em que as redes sociais estavam surgindo. O Orkut estava praticamente falido, só existia o programa de mensagens instantâneas MSN que pouco entregava sobre a pessoa, haviam as salas de bate papo que grande portais criavam, para baixar música você precisava de um programa no computador que passaria as músicas para o seu tocador de mp3, começavam a surgir os primeiros telefones touch screen – me corrige se eu estiver errada -, e o feminismo, feminismo? Se você sentasse e conversasse ao vivo com uma amiga sobre um cara bonito (não usual) que você conheceu na livraria e que de repente estava no momento certo e te salvou de ser esmagada nos trilhos do metrô. O que vocês duas iriam concluir? Eu vou falar de mim para não generalizar: eu acharia isso o máximo, eu acharia o máximo ele se doar tanto mas sinceramente eu cansaria depois. Suspeito bastante, desde sempre, de pessoas sem círculo social, até que tenhamos uma conversa esclarecedora sobre esse afastamento dos demais, quem correria pra longe era eu.

Em 2009 ou 2019 ele continuaria matando. Matando por amor. Matando porque não foi amado. Matando porque foram injustos com ele e com quem ele ama. Matando para tirar concorrentes do seu lugar. Hoje em dia é muito mais fácil achar uma pessoa na internet, descobrir praticamente tudo – desativem a geolocalização meninas -, por trás de um foto, no back end de uma foto possui uma infinidade de algoritmos que se mau usados te acham. Hoje as feministas – as mulheres, desconfiam mais, tem mais voz a cada dia alertando sobre comportamentos anormais, além de contar com esse fator crescente existe a sua voz interior que provavelmente vai cansar por você, é só ouvir. Não teime.

 

Estudos, Pessoal

Gaslighting: não é isso que a tua cabeça tá dizendo.

Não é possível viver em um mundo sem criar expectativas. Odeio a palavra expectativa mas nesse caso cabe por motivos de pensamentos que nascem à mercê da nossa vontade. Expectativa deveria ser uma voz ativa, conversamos com ela e podemos alertar a essa invasora de que nem tudo pode ocorrer da forma que ela quer. Já percebeu que a expectativa surge com a promessa de algo muito bom mas que na verdade fica nos atacando depois? É uma inimiga íntima. Mas o que fazer quando dá errado?

≈ Se pergunte

Após não ter saído da forma como você esperava o que acontece?

Você fica se culpando, sem se perguntar o por quê você está se culpando? Você fica achando que tem algo conspirando contra você? E por algum momento você para e pensa na outra parte (se existir)? Por acaso você exerce o perdão para com você? Questiona o por quê não saiu da forma como você esperava; exercendo uma forma racional, sem se atacar, ou achar mil defeitos em você?

∴ Saibamos

Expectativas são para serem questionadas e não simplesmente alimentadas. Expectativas, de uma forma bem chula, nascem de um padrão de espera, comportamento e pressão social. Todo e qualquer pensamento que envolva a realização de algo é necessário avaliação. Tens medo de conversar consigo mesmo? Acha que expectativa é algo que aparece, não acontece (na maioria das vezes) e depois você vê como vai lidar? Tem que começar a lidar antes. Assim que surge esse pensamento que acarreta muita das vezes sentimentos avassaladores deve-se acender o alerta do questionamento. Tudo pode ter um fundamento se é para manter uma linha racional aprazível com o sentimento.

× Pare de não dar trela a pensamentos

Abstrai que passa. Não. Nem sempre. Nunca sabemos o que acarreta o sentimento de culpa e inferioridade, a partir do momento em que uma expectativa eclode em sentimentos de inferioridade, culpa, necessariamente você tem que tomar a responsabilidade para si. Se perguntar, ouvir o que esses sentimentos estão dizendo por que na maioria das vezes eles surgem de palavras, atos que você ouviu e que não necessariamente te representam, dizem algo sobre quem você é. É nessa hora que você começa a desconstruir essa sensação de ruína que a expectativa frustrada trás. É nessa hora que você precisa calar esses pensamentos e sentimentos com questionamentos reais sobre a situação, sobre as condições, o tempo, a forma como ocorreu e isso tudo partindo do que você pode fazer quanto a isso; desista de achar o que o outro pode fazer, só você pode fazer.

Gaslighting é a forma consciente ou não de uma pessoa manipular a sua mente, de forma ruim, diferente da forma que abordei sobre manipular o sentimentos que a expectativa trás. A partir do momento em que você identifica algo exterior mexendo negativamente com o seu interior, isso pode ser Gaslighting.

Tente identificar suas fraquezas que podem surgir de uma expectativa frustrada, temos muito a aprender sobre o que esperamos de uma situação e o que fazemos quando dá errado. Toda derrota tem som de vitória se você enxergar pelo lado crítico do crescimento, não estou dizendo que é fácil, mas posso afirmar que é um exercício delicioso de auto conhecimento quando você começa a aceitar, compreender o perder para ganhar.

Contando, Pessoal

Acabou e eu descobri que nunca foi bom pra mim!

ALERTA ESSE É UM POST SOBRE RELACIONAMENTO ABUSIVO

Mulheres, meninas, garoutas cada vez mais a gente está sendo ludibriada por boas intenções mal intencionadas. A cada dia é mais difícil acreditar em um relacionamento saudável. Mulheres, meninas, garoutas, uni-vos e não permitireis que os homens falem em cima das nossas opiniões e as interpretem sem nem nos conhecer. ACREDITE, as escolhas que as pessoas fazem realmente revelam o que elas são.

Sem essa de achar que estão querendo ser fraternos. Fraternidade é abrir diálogo e acolher com generosidade, mesmo que você não concorde com o que o outro pensa. É bem diferente de apontar um erro quando a outra parte faz o mesmo. Ele não se importa com você, ele só quer ser ouvido e aplaudido. Não aplauda, sustente a sua opinião em secreto e reavalie com a sua consciência; você não precisa de um homem dizendo que você está errada, com uma super duper boa intenção. E por favor, fuja pra longe por que ele talvez queira fazer você engolir a opinião dele.

Uma vez que você percebe o quão apaixonada está e tenta lidar com aquilo da melhor forma e a outra parte jamais se decide, quem decide é você. Se não há decisão é NÃO. E a culpa não é pela sua falta de “fama”, a culpa é por que você emite o que é, e às vezes isso não é agradável para a cultura de um homem que diminui uma mulher para se sentir grande.

“Nossa, mas ele nunca – NUNCA – se compadeceu com a minha dor.” E ainda, desse jeito você acredita que ele em silêncio complacente empatiza com a sua questão. Não é verdade. “Nossa, mas ele é ocupadíssimo e dá prioridade ao trabalho dele”, talvez o trabalho seja mesmo importante, mas não o bastante para que ele divida com você ou compartilhe suas dúvidas sobre. Relacionamento é soma, SOMA! “Nossa mas ó, de vez em quando ele lembra de mim”, quem gosta mesmo une, insere você, não te deixa esperando e nem mesmo te tem como um objeto na estante que ele acaricia quando lembra de algo de bom que você o fez sentir“Mas eu vou perder a única pessoa que me procura!” viver dentro de uma bolha fantasiosa de que lá nos damos bem, lá tá tudo bem se ele não se decide, lá é amor de verdade, lá ele me trata de igual para igual, lá ele me agrada; sinto-lhe dizer Helena, essa bolha vai estourar e vai devastar com você.

Meninas, mulheres, garoutas transem com vocês mesmas e interpretem como quiser essa palavra. Uma das maiores libertações na vida de uma mulher é a relação consigo mesma. A sinceridade, a cumplicidade, a lealdade que uma mulher pode ter consigo ninguém pode te dar. Orgulhe-se do que você se tornou. Use tudo que essa relação causou como mola propulsora. E não, eu não estou dizendo pra você viver sozinha. É um relato de que você como ser único deve aprender a distinguir o que há de bom em alguém, o que de verdade soma com os seus valores e, se insere um na vida do outro com lealdade, sinceridade, desejo, RESPEITO, diálogo e vontade de aprender.

Tenho comigo que uma das melhores coisas na relação que temos com nós mesmas enquanto mulheres é quando o peso sai, quando a tempestade vira qualquer coisa menos aquilo que te fazia mal e você nem percebeu. Libertação é a melhor sensação do universo, é comparada ao orgasmo… aquela tensão toda, aquele desejo todo te faz tremer e enfim relaxar. Assim como o orgasmo, a libertação é algo orgânico, você sente, você respira aliviada, a diferença é que às vezes um é com “Ufa!” e o outro com gemidos.