As premissas de “Vem”, o 4º cd da Mallu.

Eu não nasci pra ver o mundo desabar.

(Navegador – Mallu Magalhães)

img-1006700-mallu-magalhaes-show

foto: Revista Rolling Stone

Antes mesmo de dedilhar sobre o teclado acerca do novo álbum da Mallu Magalhães que lança amanhã, preciso dizer sobre as minhas premissas a partir do momento em que ouvi os 4 primeiros singles de “Vem”.

“Nunca vai acontecer o pior, antes que ele aconteça algo intervirá”

É sempre bom alerta sobre o quão aguentamos nessa vida, seja para o Deus da sua crença ou para um caso, mãe, pai, amigos e animais de estimação. Ou fazemos o alerta através do afastamento, pela coragem austera de uma “dr” ou através de música. “Você se faz de louca, mas tô sacando o teu veneno. Não vem na minha sopa, não vem no meu terreno” – avisa Mallu no primeiro vídeo clipe do “Vem”, “Você não presta”. E ponto final, tá tudo ali exposto, debochadamente esclarecendo que não há segredo ou mistério, apenas a certeza de que todos têm seu mundo particular e que ninguém entra.

Comecei a entender, e agora já falando da obra musical da Maria Luiza, que há uma jovialidade no seu interior e também uma imensa coragem de eclodir como um vulcão. Uma certa dependência assumida, o medo de ficar sozinha, são alguns dos temas abordados no antigo disco “Pitanga”. “Vem” já avisa que “Eu não vou tentar te convencer de nada” – Ou me aceita do jeito que eu sou, ou vai. Entendi que eu mesma posso navegar nas ondas da felicidade e adquiri um tronco forte de navegador, avisa em “Navegador”, segunda música lançada. Com os metais afinados e guitarras à mais que violões ela explode, rasga o coração voltando atrás, com a promessa de trazer uma estrela da madrugada afirmando que vale à pena amar. Convence em “Será que um dia” e demonstra toda incerteza que temos em um relacionamento, se seremos o bastante e compreendendo que não é nada legal, desde o início, quando uma das partes “Abre mão das suas aventuras para viver as do outro”.

Essa última tem uma melancolia profunda, apesar de fazer o ouvinte dançar, Mallu quase chora ao microfone e faz chorar o ouvinte. Prometi pra mim que por um bom tempo irei pular essa faixa, por motivos ainda desconhecidos mas certa de que não aguento, suporto, ouvi-la.

“Vem” lança amanhã e essa aqui estava ansiosa desde de segunda feira à espera. O mais importante é que Mallu não tem segredo com seu público, ela solta as músicas que acha necessárias para irmos aturando a espera das demais faixas. E eu tô é muito feliz, se tem uma coisa que me deixa feliz é saber que um artista que acompanho está para lançar algo novo e que este não demora.